Tudo começa em nós - Siririca, baby!

Tudo começa em nós, siririca baby

Liberação, participação, conquistas, relações turbinadas- palavras tão repetidas que acabam caindo no vazio. Muita fala e pouca ação. Que tal sair da fase oral?

Pessoas usam óculos e lentes de contato para enxergar melhor, compram tênis adequados para o esporte que vão praticar, fazem sessões de Pilates, yoga, power yoga para deixar o corpo em forma. Muito bem!  Mas e quanto ao sexo? O que temos feito para melhorar o sexo? Para conhecer nosso próprio corpo?  Aprender mais sobre seus pontos sensíveis, expandir seus limites?

Nunca conheci uma mulher com vergonha de praticar meditação, tonificar músculos, queimar calorias numa esteira ou pedalando uma bike. Mas não faltam aquelas para quem praticar sexo sem parceiro ainda é uma espécie de tabu.  Muita gente ainda tem vergonha de se masturbar (convenhamos, o som desta palavra não ajuda muito) e muito mais gente ainda sente uma mistura de vergonha e preconceito em utilizar “brinquedinhos” para estimular o prazer consigo mesma.

Veja também:  Amor, Paixão e Química

Nada mais ultrapassado que considerar vibradores, dildos, plug anal como um atestado de falência afetiva sexual, o golpe final na autoestima e dignidade. Que bobagem!! Sexo individual não é o fim da linha! Muito pelo contrário é (ou deveria ser) a base de uma vida sexual saudável!

O desejo e o impulso sexual não podem ser guardados para serem usados nas “grandes ocasiões”.  É energia vital que não pode e nem deve ser represada. Precisa fluir, ter vazão.

Artistas e atletas treinam muito sozinhos para alcançarem sua melhor performance. Com sexo não é diferente. Quanto mais “exercício” fizermos, melhor para que nosso corpo esteja sempre pronto e sadio. Para que seus pontos sensíveis estejam sincronizados com nosso desejo. Alertas e despertos para responder aos nossos estímulos ou de quem você tiver escolhido para fazer sexo.

Correr na esteira é diferente de correr na beira da praia ou numa linda paisagem campestre, mas o que aconteceria se você corresse apenas quando estivesse numa linda paisagem?   São as sessões de corrida na pista, esteira, spinning, transport que deixam seu corpo condicionado, preparado, ajudam a controlar o peso e lhe proporcionam disposição e sensação de bem-estar.

Veja também:  Um é masturbação, dois é sexo, três é ménage

A mesmíssima coisa acontece numa sessão de sexo com você mesma: você aumenta a irrigação do sangue nos seus pontos de prazer que, estimulados com regularidade, se desenvolvem e passam a dar respostas mais rápidas e intensas aos estímulos sensoriais. De quebra, relaxa e reduz a ansiedade.

Nestas sessões, você adquire mais conhecimento do que funciona melhor com você, e passa a ter maior domínio sobre o tempo de reação de cada ponto de prazer.

Conhece a frase, para amar alguém é preciso primeiro amar a si mesma? Pois é, parece de auto ajuda,mas não é.

Pratique “exercícios”. Descubra-se, para não ter de improvisar no momento em que as coisas acontecerem. “Treine” bastante para estar em forma quando for praticar sexo em dupla ou por equipes.

Seu prazer está bem aí, à mão.

Um comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *