Sexo depois da maternidade: 45% das mulheres relatam mudança na vida sexual

A pesquisa, realizada apenas com mulheres que são mães, em todos os estados, mostra ainda que a quantidade de filhos diminuiu. Veja a pesquisa completa!

Sexo-depois-da-maternidade-45-das-mulheres-relatam-mudanca-na-vida-sexual

Pouco se discute sobre mães e sexualidade. O sexo depois da maternidade é um tabu, porém é muito mais comum do que se pensa. A rotina sexual das mulheres ainda é ativa, só com menos frequência.

A vida com filhos, querendo ou não, acaba mudando sim. Você adquire maiores responsabilidades e isso passa a tomar grande tempo da sua vida. Não é fácil cuidar de um filho, uma vida e uma vida merece toda atenção e cuidado do mundo. Você passa a se preocupar mais com o seu filho do que com você mesma. Ou seja, as suas prioridades acabam ficando em segundo plano. O que antes fazia parte da sua rotina ativa, hoje pode esperar um pouco mais. E o sexo é uma dessas coisas. Ou não.

A rotina sexual das mães que transam

Isso é o que revela uma pesquisa feita pelo Sexlog.com, a maior rede social adulta da América Latina. A pesquisa foi feita com mulheres acima dos 28 anos e revelou que mais da metade delas, cerca de 55,27%, não sentiram suas vidas sexuais afetadas após se tornarem mães. Já para cerca de 23% das entrevistadas, a vida íntima está menos agitada, porém acreditam que não seja por conta dos filhos, e sim outros fatores. Para as demais 21% delas, a “profissão mãe” toma muito tempo de seus dias, e isso acaba influenciando suas vidas.

A pesquisa, realizada apenas com mulheres que são mães, em todos os estados, mostra ainda que a quantidade de filhos diminuiu. Esse é um movimento observado globalmente, e isso deve-se a diversos fatores da atualidade. Mães de apenas um filho representam 47,57% da pesquisa, enquanto dois são 36,92% e três ou mais 15,52%.

“É muito positivo notar que as mulheres têm conseguido sustentar uma vida sexual ativa mesmo após a maternidade. Essas mães têm mantido uma vida particular prazerosa, o que permite que elas lidem com o assunto com mais tranquilidade, facilitando até o diálogo com seus filhos”, analisa Mayumi Sato, diretora de comunicação do Sexlog.com.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *