Prazer anal, onde os héteros também tem vez

Prazer anal

O prazer anal é um tabu. Se você é mulher, não é fácil achar com quem tirar dúvidas, mas se você é um homem e hétero é quase impossível ter quem te ajude a respeito, só a solitária e anônima internet. Uma coisa eu aprendi ao longo dos meus 30 anos: quem gosta de dar o cu, gosta de dar o cu. Enlaces afetivos que envolvem gêneros estão descartados dessa afirmação. Pois é, parece que é fato novo para muita gente, mas não é obrigatório que homem que curta um carinho anal seja gay e nem é imposto que quem o penetre seja outro homem. Disposta a abrir algumas mentes – e afastar algumas pregas – resolvi me aprofundar um pouco mais sobre o assunto e alguns retos.

Muito provavelmente você desembarcou na adolescência com diversos preconceitos enraizados sobre o prazer anal. Apesar de ser uma fase sexualmente efervescente, ela também vem com um planilha complicadíssima de afirmações que sua família, vizinhos, colegas de escola e até grandes amigos te fizeram a respeito de sexo. Apesar de a sociedade criar lógicas sexuais diferentes para cada gênero, uma delas consta na planilha de ambos os sexos: homem que dá o cu é gay, e mulher é vagabunda.

Por isso, muita gente tem medo de experimentar. No caso dos homens, tem aquele medo: “E se eu virar viado?”. Para as mulheres, o medo está  no “E se eu fico mal falada?”. E é nessa que todos se fecham. Ninguém é educado para entender que o ânus é uma zona erógena do corpo, muito menos é incentivado a tentar obter algum tipo de prazer via estimulação anal.

Acredite, é normal querer dar o cu, seja você homem ou mulher. É normal que seu parceiro te peça para colocar um dedo, um consolo ou, se ele for do tipo corajoso, até um punho. Tudo aquilo que te falaram a respeito do prazer anal ser meramente instrumento de prazer para homossexuais é mentira! Pode ficar sossegada, seu parceiro não tá afim de te largar por outro homem. Como diria Nando Reis “Você me come porque eu quero ser sua mulher e eu quero o homem que come essa mulher. ”

Será que você me entende?

 Ele disse “Coloca um dedo no meu cu”, e agora?

Veja também:  Dicionário do sexo: saiba mais sobre as gírias sexuais

Nem sempre seu parceiro vai te dizer abertamente isso, nem sempre você vai dizer isso quando está afim de dar a bunda também. Então leia os sinais, converse antes do sexo. O item número um do sexo anal sem problemas é que haja consenso de ambas as partes. O famoso pula-pirata (que é uma dedada sem consentimento) não é a melhor maneira de se iniciar nenhum tipo de relacionamento, muito menos o seu com o cu do parceiro. Isso serve também para os mocinhos que usam a desculpa de que entrou no buraco errado. É escroto e tá errado!

“Quando eu digo ‘não’, significa ‘não’.”

Os itens que compõem o número dois dessa lista são lubrificante, camisinha e distância de pomadas anestésicas. Esquece a manteiga, o cuspe, o óleo. Lubrificante à base de água (todos os outros correm o risco de romper o preservativo) e quanto mais grosso melhor, assim ele dura mais no período de fricção, o que vai te dar mais tempo útil sem se esfolar. Camisinha não é um lembrete do status do seu facebook, é um meio prático e rápido de se proteger de doenças. Mesmo tendo um relacionamento monogâmico é necessário usar na prática do sexo anal. Mesmo usando um consolo é importante colocá-la, assim você não fica neurótica (o) que o outro da relação pode estar se divertindo com o brinquedo e terceiros.

Veja também:  Review Sincerão: Testamos o vibrador que promete orgasmo em um minuto

PS: seus dedinhos loucos para penetrar e explorar orifícios também entram no pacote que deve ser encapado com camisinha ou luvas de látex.

Sempre há tempo para lubrificação

E o mais importante sobre o prazer anal: DISTÂNCIA DE POMADAS ANESTÉSICAS. Eu sei que dói (um pouco), mas preste atenção, se doer muito quem está penetrando está fazendo isso bem errado, ou você não está relaxado(a), ou precisa mudar de posição, ou de mais lubrificante. O que você não precisa é de um anestésico local que irá te deixar insensível e assim poder se machucar de verdade.

E aqui vamos nós para o item três do pacote básico da expedição sexo anal, as preliminares. Não é porque o sujeito tem uma próstata que você não vai fazer umas firulas antes de entrar em campo. Na verdade, essa dica serve para portadores ou não de próstatas. As preliminares em torno do próprio ânus e a masturbação diretamente nos órgãos genitais ajuda o corpo a relaxar, faz com que você confunda os receptores de dor/prazer e assim você fica mais apto para curtir o momento. Estimular a região anal eroticamente faz com que você consiga dar mais prazer a essa parte do corpo. De língua a dedos ao redor e dentro do cu, tudo é válido quando é estimulação e prazer.

Quem está sendo penetrado é quem controla o ritmo e até onde a relação vai. Aliás, isso deveria ser regra em todas as relações e não só na anal!

E lembrem-se, por mais limpo que tudo esteja, pode dar merda.

É um país livre

comentários

  1. Vamos lá mulheres, seus namorados e maridos também sentem prazer no anus, se você não sabe como massagear a próstata dele e nem sabe como tocar na próstata pesquise, a internet serve para isso. Quem quiser conversar mais sobre a esse respeito, pode mandar e-mails sandrinhademogi1978@bol.com.br

  2. Sou homem e morro de vontade de dá pra uma travesti é normal isso?

    • Oi Fernando,
      Quando você diz sou homem, entendemos que quis dizer que é heterossexual, ou seja, que sente atração sexual por mulheres.
      A sexualidade humana é muito diversa. E talvez por achar sua vontade incomum você tenha dúvida sobre o seu desejo pelas travestis.
      Esse fetiche é muito comum e ele pode estar atrelado à imagem feminina das travestis.
      O fato de você querer ser penetrado por uma delas não te torna menos homem.
      A inversão é um fetiche muito comum e diversos casais praticam.
      Caso ainda não tenha acontecido, preste atenção em como é o seu desejo e converse com a travesti que escolher como você deseja que aconteça para que seja uma experiência gostosa.
      Praticar inversão não diminui a sua masculinidade. Pode ficar tranquilo!

  3. muito bem explicado tudo. sou homem hetero, adoro mulher, mas ando brincando com meu realistico já faz um ano e adoro. isso pode me fazer mal a saude futuramente? quais as possiveis consequencias?
    valeu!!!

  4. Boa noite, tenho uma duvida. Desde muito cedo eu brincava com minhas vizinhas de ficar se beijando e tentando penetrar nelas e cheguei a beijar uns vizinhos, tenho 33 anos e tenho essa duvida em relação a minha sexualidade, pois desde então só tive relacionamento com mulheres e sinto muito tesão com mulheres. O que não consigo resolver em minha mente é que não tenho tesão em homem, tipo eu olho e não me desperta nada, so vejo lance do corpo se treina ou não, vejo mais como uma comparação, e se o cara tem beleza pelos padrões da sociedade não me importo de falar que é bonito ou não, não me atraia isso. Meio que o lance é só com o pênis ou de ser penetrado, sentir prazer anal, ja coloquei consolo para me masturbar. Não sei se fui claro, mas tenho essa duvida .

    • Olá Sandro, tudo bem?
      Admitir quando o corpo de um conhecido é bonito ou quando se vê que uma pessoa do mesmo sexo que você é bela não interfere em nada na sua sexualidade.
      Somos criados em nossa sociedade a temer o que não é posto como comum e por isso criamos uma fixação enorme em torno dos padrões de beleza, de comportamento e de expressão impostos pelos grupos em que convivemos.
      Admirar o pênis também é natural. É um elemento ligado diretamente à ideia de prazer. Você por ter um pênis e sentir muito desejo pelas mulheres sabe que ele é um instrumento de prazer. Imaginar o que os pênis alheios podem fazer é natural. A comparação é comum entre homens e mulheres e ela pode acabar gerando essa curiosidade. Repetimos que a curiosidade tem a ver com manifestações e experimentações pontuais do sexo e não de uma definição impositiva da sexualidade.
      O desejo de ser penetrado não quer dizer que você seja homossexual. Você poderia inclusive praticar inversão com suas parceiras e continuar se identificando como heterossexual. Tem a ver com tesão, com pele, com prazer.
      Já que você não se atrai emocional física ou sexualmente por homens você pode considerar que seja esse o processo. Se houvesse o interesse você poderia se identificar como bissexual se quisesse.
      O importante é saber que nenhum desses rótulos muda quem você é e nem como as pessoas devem olhar pra você ou você pra elas.
      Divirta-se sem culpa! Entregue-se ao seu prazer e goze gostoso!
      Se tiver mais dúvidas ficaremos felizes de contribuir com nossos pontos de vista.
      Beijinhos

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *