Pequenos atos machistas do dia a dia que toda mulher enfrenta e às vezes não percebe!

machismodiaadia

Dias desses sai num date com o boy e pedimos dois hambúrgueres, um com 100 Gr e outro com 200 Gr, eis que quando o garçom chegou para nos entregar não rolou a pergunta básica de para quem seria o que, simplesmente deu o maior para o homem e o menor para a mulher! Quando trouxe a bebida, foi o suco para mim e a cerveja para ele, e na hora da conta vou deixar você adivinhar!? IGNOROU minha existência! Tudo isso muitas vezes passa batido, e talvez comigo até passasse se o hambúrguer grande e a cerveja não fossem PARA MIM, e se a conta não fosse ser dividida!

Levei esse tema ao espaço de troca que temos no Instagram (link ao final do artigo), e muitas mulheres responderam sofrer coisas parecidas em situações simples do dia a dia! Uma delas relatou, por exemplo, que ao sair de uma boate com o boy, ela pediu para o segurança tirar do braço dela a fita adesiva que a identificava como participante da festa! A reação do segurança foi perguntar ao parceiro dela se podia! OI? Um simples gesto que reduziu a mulher à propriedade de um homem!

Veja também:  Conheça as 5 mulheres mais influentes da história

Desde criança somos tratadas como se fossemos mais frágeis que os homens, mais “fofas” que os homens e mais educadas que os homens! E quando falamos em luta por igualdade de gênero, não nos referimos “apenas” a oportunidades profissionais ou à questão do assédio! Queremos também ter um dia a dia onde nos pequenos atos a gente não sofra pré-julgamento ou discriminação! Hoje me vejo cada dia mais atenta a perceber e apontar esse tipo de equívoco, de forma a conscientizar algumas pessoas a quebrarem esse ciclo de machismo velado! Sexo frágil que nada, somos sexo FORTE, e juntas vamos mudar o mundo!

Gostou? Então compartilha com quem você ama! Caso tenha alguma sugestão ou dica, manda para nós por email ou pelo nosso IG (www.instagram.com/_marianasantoro_). Aliás ficaremos muito felizes de você fazer parte desse espaço maravilhoso de apoio e troca de energia boa que é nosso espaço. Vem! Juntas somos mais fortes!

Veja também:  I Love Dick - Um livro de mulher

Beijocas!

Mari e Pedro

Um comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *