Os tipos perfeitos para evitar nos apps

Os tipos perfeitos para evitar nos apps

A maioria das mulheres já esteve em uma situação em que sua vulnerabilidade egóica foi utilizada contra ela. Explico, mesmo quem está dentro de padrões que a sociedade afirma ser o aceitável ou o bonito, titubeia perante o mar de exigências estéticas que a sociedade nos impõe. Mas é claro que fazer parte de determinados grupos nos faz mais expostas a riscos e predadores nem tão conhecidos.
Quando me chamam para falar da sexualidade da mulher gorda, gosto de frisar que apesar de estar levando o assunto direto por uma estrada que abrange uma população fora do padrão estético vigente e que sofre além de opressão estética outros tipos de preconceito que cerceiam ainda mais a possibilidade de desenvolver autoestima ligada a autoimagem, desconheço qualquer mulher que de uma maneira mais sutil ou escancarada não passou por situações semelhantes.

Nesse vídeo do Sexlog falo um pouco para a Mayumi Sato sobre BBW e fetiche e como a falta de autoestima pode ditar de maneira cruel as relações (e alterar até onde os limites chegam).


A vida sexual e afetiva da mulher gorda é cercada de pessoas que abusam da falta de autoestima e de gatilhos que são facilmente acionados!

Baseada na minha experiência e na observação da fauna dos Apps, diagnostiquei três típicos casos de predadores de baixa autoestima, coloquei apelidos carinhosos em todos, para assim transformar a experiência em algo mais agradável. Eles são:

O CAÇADOR DE GORDAS:

O caçador de gordas é um cara que costuma ser legal. Desconstruído, ele geralmente elogia até suas gorduras, dobras, celulites e tudo aquilo que você jamais ousou pensar como algo bonito. Mas esse match especial, que às vezes até se confunde com uma carta cromada no álbum de figurinhas, esconde algumas coisas de você. Como, por exemplo, que as relações serão livres para somente um lado. Ele provavelmente se viu cercado pela fauna abundante de minorias e pessoas emocionalmente machucadas no app e resolveu se aventurar cada vez mais dentro dela. Não haveria problema algum se para cada uma das pessoas ele não prometesse algum tipo de romance e monogamia nas entrelinhas. A princípio ele avisa que não quer nada além do casual, está magoado, acabou de terminar ou está ainda digerindo um fim de relacionamento, para logo em seguida te encher de mimos e elogios. Quando você se dá conta está numa relação unilateral, contando sobre o seu dia e sua rota, às vezes ele some, aí volta carente e quando você demora meia horinha para responder recebe uma avalanche de mensagens passivo agressivas. O maior defeito dele, além da pequena falha de caráter de alterar as regras do jogo de acordo com o que quer, é que ele só te encontra em lugares privados. Sua casa, na casa dele, a proposta de um Netflix, um vinho, a cama e vocês fodendo até no lustre parece romantismo, mas é que o sigilo mantém ele seguro e circular pela cidade é perigoso para ele, afinal quem se entranha em um monte de teias de mentiras tem medo de acabar sendo pego.
O caçador de gordas não tem muito escrúpulo e normalmente é um fetichizador de minorias, não vai se importar muito se ele deu match com sua professora de yoga, sua melhor amiga e quem sabe sua mãe. Desde que ele consiga manter oculto esses pseudos relacionamentos de todas as parte lá estará ele, provavelmente forçando a barra para não usar camisinha.

Veja também:  7 princípios de empoderamento feminino no ambiente de trabalho

O próximo da minha coleção de caras evitáveis do APP é:

O GIGOLÔ PÓS MODERNO


O gigolô pós moderno é o cara legal, de longe parece da FFLCH, de perto ele já está oferecendo umas miçangas. Artistas, desencanado, niilista e cheio de histórias que envolvem o Sol, a Lua, a estrada e o amor.
Grudento, esse é o tipo que sempre se orgulha de amar chupar buceta, como se isso fosse digno de uma medalha de honra ao mérito. Na primeira noite ele pede para ficar na sua casa, mora longe, mas quando você percebe que tem 3 dias que ele não desentocou do seu espaço. Aparentemente ele troca sexo por moradia e comida – nada contra, mas essa cláusula não constava no acordo prévio. Quando finalmente você o convence de ir embora, ele te pede uma grana, não o equivalente a integração ônibus+metrô, um pouco mais – o suficiente para ele chegar em outro bar, com outra mina do app, para outra temporada de favores sexuais e carinho por moradia e comida. Dependendo do grau de vinho ruim e orgasmos que você teve, provavelmente sua carteira se esvazia.
Assim como o primeiro exemplo, esse cara aqui usa da energia tilelê para tentar te convencer que o uso da camisinha inibe a troca de energia, talvez ele diga que estava muito bêbado para usar camisinha (e como citei acima, dependendo a quantidade de vinho você pode cair em cilada, melhor mexer na carteira do que na sua saúde).

Veja também:  Você não tem o corpo perfeito e tá tudo bem

O terceiro membro dessa gangue do app, mas não menos escroto é:

O CARINHA POP DO ROLÊ (porque ninguém superou as frustrações escolares)


Esse com certeza você já cruzou ao vivo e quando acendeu a confirmação que ele também gostou do seu perfil rolou um “QUÊ?”. Popular entre seus pares, costuma ter relacionamentos com meninas que em nada se parecem esteticamente com você. Aliás, vive cercado delas, com quem desfila e faz questão de aparecer ao lado. E qual é o problema nisso?
Em geral esse carinha te encontra escondido, nos lugares comuns ele te dá um oi tímido e distante, dependendo do quanto você consegue ser discreta rola um beijo no rosto. Mas ele nunca vai te assumir. Talvez no meio da madrugada, após alguma balada furada, ele te ligue e diga que nenhuma garota é como você e se ofereça para ir a sua casa. Palavras bonitas, sexo bom, mesmo gosto musical. Estaria tudo dando certo se a maneira de ser discreto apenas com você dele não fosse simplesmente vergonha de ter tesão em corpos fora do padrão. Ainda regido por questões de grupos escolares, ele não trabalhou a autonomia do seu tesão e afeto, Causando assim um grande estrago na vida de quem não está preparada. Ele é capaz de manter esses relacionamentos clandestinos por muito tempo, sempre saindo de fininho de casuais confrontos ou tentativas de tornar ao menos público que vocês se conhecem além do oizinho distante e o sorriso amarelo que ele cisma em te lançar.
Apesar da performance um tanto patética e irritante como o popular de ego inflado, na intimidade ele costuma expor suas vulnerabilidade em troca de silêncio, acolhimento e SEXO SEM CAMISINHA.
Existe algo comum em todos os homens que usam do prazer e da atração que sentem como meio de dominação não combinada, na grande maioria, senão em todas, a utilização do ego alheio (ou a falta de suporte dos mesmos) como ferramenta de poder para conseguir o que querem. Além da falta de prudência quanto ao uso de preservativo.

Ninguém aqui é exatamente o que parece

*Se for válido um conselho após tanta exposição de pessoas não tão legais, se o plano é só sexo: aposta no cara que está pra jogo sendo sincero desde o começo, não cai em conversinha e faça ele andar um quarteirão de mão dada com você (eu sei, andar de mão dada é um saco).

Um comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *