O papel do homem no feminismo

1-cinicar-feminismo-homem

Esses dias fiz piada porque me abordaram numa festa pra me perguntar qual o papel dos homens no feminismo.

Então, para estar evitando situações semelhantes no futuro (diga-se: migos, não me cutuquem no meio do samba pra perguntar isso) vamos desvendar o inescrutável enigma do papel dos homens no feminismo.

Primeira coisa que eu acho importante colocar aqui é que muitos homens acham que somos como uma seita (feminismo) querendo angariar adeptos (homens). Não é assim que funciona. O feminismo é um movimento de empoderamento, libertação e consciência para as mulheres. É um movimento para a equidade de gênero. Você, homem, não pode ser feminista porque você não é protagonista, mas você pode ser a favor do feminismo.

“Então Maria, o que você espera que um homem que é a favor do feminismo faça?” Primeiro de tudo, ouça. Pesquisa, corra atrás de entender o que as feministas estão falando. Nunca houve tanto material disponível a respeito disso, canais no youtube, blogs, sites, perfis nas redes sociais. Faça um pouco de esforço para compreender as nossas demandas ao invés de ficar querendo nos ensinar como fazer nossa militância. Compreenda as estruturas patriarcais e o machismo estrutural para entender suas próprias atitudes misóginas e assim poder mudá-las.

Veja também:  DATE RUIM: 5 conselhos que eu gostaria de ter ouvido depois ter um

Quando falamos que todo homem é machista não estamos tentando ofendê-los, estamos apontando que homens desfrutam de uma posição de privilégio dentro da sociedade em que fomos educados, possuindo assim atitudes decorrentes dessa formação. A diferença é que alguns admitem isso e se propõem a desconstruir esses padrões de comportamento: parar de explorar o trabalho da mãe, tratar as mulheres da sua família sem estereótipos de gênero, dividir o trabalho doméstico, etc, etc, etc

A partir dessa desconstrução  – agora é que são elas – você, homem, pode falar para os outros homens sobre as atitudes machistas deles.
Isso porque homens têm um clube do bolinha muito estruturado: a “broderagem” entre eles é estabelecida desde os primórdios da civilização e está sempre presente. Nenhum deles quer – jamais!  – se indispor com o coleguinha.

Mas aí é que eu quero ver: você, homem que quer saber seu papel no feminismo, falar pro amiguinho que ele está sendo machista. Que essa piada misógina não é engraçada. Que ele está sendo um escroto com a namorada dele. Pra ele parar de interromper sua colega de trabalho que está tentando falar na reunião. E a lista é infinita.
Me perguntaram minha opinião né? Pois aí está.

Veja também:  Rede social adulta faz abaixo assinado contra a Copa

Um outro ponto que considero essencial é que os homens parece que não entenderam que o problema de gênero é deles, não nosso. Eles que são os opressores quando falamos de misoginia e de todas as características de uma sociedade patriarcal. Assim, cabe a eles resolver esse problema, eles é que deveriam estar apresentando soluções ao invés de agirem como se estivessem fazendo o favor de nos escutar e talvez ser “adepto” dessa “seita”.
Só que o mundo está mudando, a sociedade está cada vez mais (ainda que tenhamos muito caminho pela frente) apontando determinados comportamentos, graças a décadas de luta dos movimentos feministas.

Em breve não haverá espaço para atitudes misóginas e patriarcais, tanto em âmbito social como acadêmico e profissional. Portanto, é do interesse dos próprios homens nos ouvirem e acompanhar o que está acontecendo, senão eles vão ficar pra trás.

E, pra quem quiser, recomendo aqui o canal da Renata Correa, Como não ser um machista babaca

 

comentários

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *