O conceito hipócrita de saúde: Corpo x Mente

O conceito hipócrita de saúde Corpo x Mente

Durante minha vida, já perdi as contas de quantas vezes as pessoas me disseram: “você precisa emagrecer um pouco, cuidar da sua saúde” ou “você não pratica nenhum esporte? Isso não é bom pra sua saúde” e tantas outras frases que, embora estivessem fantasiadas de preocupações, eram mais para impor padrões em cima de mais uma menina gorda. Porém, esse papo de *você precisa cuidar da sua saúde* é tão hipócrita que me dá nojo e eu explico o motivo.  CLARO que temos que cuidar da nossa saúde, mas atrelar isso ao corpo da pessoa é tão superficial, cara.

Saúde não se resume a um corpo magro, na verdade não se resume a formato de corpo, isso é ridículo, na verdade. Já que com essa “estereotipação” do corpo, a sociedade acaba tornando doentes pessoas que eram saudáveis. Pessoas doentes com transtornos alimentares – e essas doenças são (de certa forma) aceitas, afinal, resultam em um corpo magro.

Quantas das pessoas com esse discurso fazem exames periódicos? Quantas se preocupam em saber se sua saúde mental tá boa? Por volta de 1 ano e meio atrás eu comecei a ter crises de ansiedade severas, ataques de pânico e depressão. Há 1 ano e meio eu comecei a terapia, comecei meu tratamento e ainda não estou livre, porque a gente não fica livre dessas coisas, a gente até consegue ter um controle maior dessas angústias que a cabeça traz, mas não vai embora, sabe? E nesse 1 ano e meio só eu e Deus sabemos quantas vezes eu ouvi que eu devia ser mais forte, que eu *não podia* me deixar abater (como se fosse fácil assim, né?) e que eu sou viajada demais por pensar nas merdas que a ansiedade me faz pensar, por achar que sempre algo ruim vai acontecer, por sempre achar que as coisas que eu mais quero darão errado.

Eu tenho TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) num grau bem baixo e já é aterrorizante e angustiante, imagina pra quem sofre com isso de forma intensa? E as pessoas acham que é só parar, que é só não fazer, que é só esquecer. PQP! Quem dera fosse fácil assim, quem dera resolvesse fácil assim. No começo disso tudo, eu não dormia, eu não ficava sozinha, eu tinha dificuldades para trabalhar, eu chorava demais, eu não conseguia ter relações sexuais, eu não tinha vontade de nada. Fui diversas vezes pro hospital achando que estava morrendo, quando na verdade eu estava tendo uma crise de ansiedade e os calmantes eram injetados na minha veia pra eu me acalmar. Eu desenvolvi gastrite e esofagite, não por ser gorda e só comer besteira, mas por estar sempre tensa. Eu engordei porque me deu uma compulsão alimentar e não é só parar de comer, que fique BEM CLARO, é algo muito maior que isso. Não é fácil passar por tudo isso, não é simples e não é barato.

Eu tenho a sorte de poder fazer terapia, de poder passar no meu médico, de ter dinheiro para comprar meus remédios. E quem não tem? Por isso, de coração mesmo, se você conhece alguém que sofre com a saúde mental, que tá com dificuldades pra se erguer, que tá com dificuldades pra fazer algum tratamento por não tem dinheiro, dê apoio e suporte. Você não precisa entender sobre o assunto, você não precisa fazer muito, só ouvir e mostrar que você está ali. Quando a gente cai num buraco desse, tudo que a gente precisa é de pessoas que nos mostrem que vale a pena sair e que tenham paciência pra nos ajudar e levantar.

 

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *