Minhas referências pornográficas

XXX diamond sign

Para abrir minha presença aqui no Cínicas, resolvi colocar minhas referências pornográficas e algumas nem tão pornográficas assim, mas o que eu gosto de ver ou de lembrar que vi quando o assunto é sexo – e por enquanto são só referências visuais. Talvez elas digam mais sobre mim do que qualquer texto de apresentação que eu poderia tentar escrever.

  1. Doc Kink

Assisti esse documentário pela primeira vez no PopPorn Festival. Foi um dos únicos filmes que consegui assistir durante todos esses anos colaborando na produção do evento e me pegou de jeito. Lembro da minha pausa acabar e ficar deprimida de sair da sala antes do final, mas foi só acabar o evento que fui atrás dele para assistir no conforto do lar. Conta a história por trás das câmeras do maior site de pornografia BDSM, com depoimento de atrizes, atores, diretores e inclusive com cobertura de uma reunião sobre o rendimentos dos canais – no site Kink cada “canal” aborda um fetiche especifico. Aproveita para ver o site também, Kink.com!

Veja também:  Combate à discriminação racial: somos muitas e de muitas cores

Como diriam por aí, é como um jantar que foi oferecido, você não precisa pegar tudo que foi servido, você pode só pegar aquilo que você gosta e deixar o que não gosta para outras pessoas. É divertido e MUITO bem produzido.

  1. After Porn Ends

Esse eu assisti um dia meio que sem querer quando voltei do trabalho e meu parceiro estava com a TV ligada naquele estilo “vou assistir alguma coisa para dormir”. Tenho o péssimo hábito de jantar assistindo TV e foi isso que eu fiz, mas da coleção de documentários sobre sexo e a indústria pornô no Netflix, achei esse dos mais equilibrados. Ele mostra pessoas que já fizeram a sua história no pornô, desistiram, deixaram ela acabar, cansaram, mas depois voltaram ou pararam e dão graças a deus por isso. Enfim, mostra diversos lados e talvez por isso eu goste.

  1. Four Chambers

Four Chambers é a nova sensação do pornô, não é nenhum pouco à toa, é pensado, calculado e muito bem feito. Há uns 3 anos atrás uma amiga me mandou um vídeo no Vimeo com 3 meninas deitadas se beijando e “adorando” peitos. Eu fiquei louca e aquilo me inspirou a começar a gravar meu primeiro filme, o primeiro em que testei ficar na direção – Dopamina. Ano passado estava acompanhando a apresentadora do programa de TV da Xplastic na Casa TPM e dei de cara com a Carol Teixeira (http://aobscenasenhoritac.com.br/), elas estavam na mesma mesa de debate sobre sexo e a Carol falou desse site (acho que foi nesse evento, sempre encontro a Carol nesses eventos e ela sempre dá umas dicas maravilhosas, posso ter confundido). Confesso que demorou para eu relacionar com aquele vídeo de 3 anos atrás que me inspirou a criar o Dopamina, mas putz, que demais. Uma menina nova fazendo pornografia e colocando o gosto dela na mesa. Incrível. Adoraria ter conhecido um site assim nos meus tempos de faculdade, eu teria pirado mais! rs

Veja também:  Pornografia: Quem é contra X Quem é a favor

Como são muitas referências, achei melhor dividi-las em 3 partes, assim você consegue tirar um tempo e se divertir com cada uma.

 

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *