Há quanto tempo você não tem uma transa sincera?

Há quanto tempo você não tem uma transa sincera?

Falar sobre sexo deve ser um dos papos que mais rende no boteco. Experiências, lembranças, risada, sempre muita risada. A conversa é leve, sem melindres, sem pudor. Mas nem sempre praticar tem a mesma leveza, em especial para as mulheres. É muito injusto se privar de um prazer sincero. Por isso, aqui vão algumas dicas que podem te ajudar a chegar lá:

1 – Se olhe, menina!
Que tal desbravar o mapa do seu corpo? Pega o espelhinho, aprecia a beleza que é sua vulva. Conheça os lábios, o formato do seu clitóris, seja capaz de desenhar sua ppkinha de olhos fechados. Vá além e leve a exploração para esse corpão todo. Veja – e admire – cada curva, cada cicatriz, cada pinta, cada pelo, cada textura. Investigue o seu rosto. Perceba como ele muda com o tempo e o quanto ele diz sobre você. Aprecie enalteça essa obra completa que é você, e como seu corpo se adapta a todas as suas fases. Você é única. Só você tem essa forma. E isso é maravilhoso.

2 – Se toca!
É meio batido falar disso por aqui, mas também nunca é demais: vai bater siririca, mulher! Use suas mãos, seus dedos, brinquedos, se contorça contra o travesseiro, gema alto, busque estímulos; vale tudo para se dar prazer. Encontre o seu jeito preferido e experimente ser dona do seu prazer.

3 – Faça apenas o que tiver a fim
Cansou de fazer / receber sexo oral? Pare / peça para parar. Quer trocar de posição? Troque. Quer se masturbar durante a transa? Bota esse dedinho pra jogo. Adora papai e mamãe mas está com receio de ser sem graça? Não será se os dois estiverem em sintonia. Sexo é uma troca mas fazer algo apenas para agradar o outro é, em alguma camada, anular os próprios desejos. Isso a longo prazo pode mexer com sua auto estima e sua vida sexual vai sentir as consequências. Vale tudo quando todo mundo está de acordo, todo mundo se diverte e ninguém anula ninguém.

4 – Liberte-se de padrões – os seus e os do outro!
Nós, mulheres, crescemos aprendendo a ter vergonha do nosso corpo. É um tal de transar no escuro… E eu sei, desapegar não é tão simples nem acontece do dia para a noite. Mas lembre-se que a pessoa curtindo aquele momento com você está ali porque te quer, porque se sentiu atraída por você, do jeitinho que você é. O mesmo vale para a outra pessoa. Você sente atração pela pessoa ou pelo padrão? Consegue sentir tesão em um corpo diferente do habitual? Se não consegue, deveria. Não existe nada mais gostoso e libertador do que duas pessoas peladas exibindo seus corpos livres, sem vergonha nenhuma. Permita-se poder levantar da cama nua. Aquela coisa horrorosa de se enrolar no lençol é só na novela mesmo.

5 – Goze. E goze no seu tempo. Mas faça questão de gozar
Existe uma expectativa meio bizarra de que os dois precisam gozar ao mesmo tempo. É ótimo quando acontece, mas qual a chance da sincronia acontecer ao transar com alguém pela primeira vez? Independente do timing, uma coisa precisa ser certa: seu orgasmo. Se a outra pessoa gozou antes, ela vai te ajudar na sua vez e vice versa. Diga do que gosta, como ela pode te excitar. Mas goze, goze gostoso. 

Está mais do que na hora de encarar o sexo com a naturalidade que ele deve ter. Todo mundo merece uma transa sincera. Te garanto que sua vida sexual – e seus orgasmos – nunca mais serão os mesmos. 😉

banner_728banner_728banner_728banner_728

Um comentário

  1. Eu ADORO essa página!!!! Bendita hora que descobri vcs.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *