Guia básico para não vestir a fantasia de boy errado do carnaval

boy-errado-do-carnaval

O verão está a toda, carnaval está chegando, planilhas com todos os blocos de carnaval das cidades começam a pipocar nas redes sociais. Falta pouco para que a folia faça as pessoas esquecerem dos grandes dilemas modernos e ouvirem repetidamente as músicas do verão. Não se sabe quem será o pai da música do verão (e eu tenho apostas que será uma mãe lacradora) mas para que você, caro amigo homem, não se torne pai de uma criança nascida entre outubro /novembro de 2018, vire a mais nova fazendinha de DSTs ou passe pelo assediador chato dos bloquinhos, listei aqui embaixo bons comportamentos para garantir folia e quem sabe match no fim da noite.

Não é não
Se você nasceu na época em que a internet era discada e passou pelos exaustivos minutos de conexão, provavelmente ouviu de alguém a teoria de que mulheres possuem três tipos de nãos – dois quais apenas um deles era verdadeiro e todos os outros eram falsos. Pois muito que bem, venho do futuro e informo: É MENTIRA. Além disso também é papo de abusador. Sóbria, bêbada, recatada, de biquini de fita isolante ou fazendo uma explosão com a bunda no chão, se o flerte em questão te disser não, seja sonoro e alto, seja uma negativa tímida e meiga, NÃO É NÃO. Bola para frente, melhore o xaveco, tente outra, melhore no passinho do romano e beba muita água.

(Consentimento é simples. Se não é um sim, é não)

Se você é do tipo que não sabe ouvir não, ainda dá tempo de correr para uma terapia e aprender a lidar com a rejeição. Lembrando que agressão física é crime.

Não me pegue não, me deixe à vontade
Flerte, cantada, xaveco, nada disso envolve o toque não permitido de uma parte na outra. Tá proibido puxar cabelo, pegar pelo braço, pegar no joelhinho ou em qualquer outra parte que o Tchan já mencionou em alguma música de axé da década de 90. Chega, mas chega na moral. Pega umas dicas com o Marlon Teixeira de como se faz olhar sexy, bota tua melhor fantasia, se enche de glitter e umas cantadas que detenham o mesmo poder que a catuaba. Seus dedinhos e mãos tem utilidades depois do sim, antes mantenha-os longe.

(Não me toque)

Tira essa mão boba daí
A bonita disse sim, a sorte virou, agora você está com a língua roçando com a dela, só que isso não lhe dá o direito de fazer o menino polvo de começar a apalpa-la em público sem que ela permita. Há uma lenda entre homens que se não forçar, a mulher não libera, e isso é um mito tão grande quanto Ronaldo Fenômeno foi em campo com a amarelinha. Sente o feeling, dança conforme a música e ouça a garota que está aí te dando moral. Você não esperou o bloco inteiro para ser babaca, né?

Veja também:  “Feminismo” é eleita a palavra de 2017 por dicionário americano

 

Tem que ser com camisinha pra tu não pegar doença e nem deixar de barriga
Não foi babaca, o clima esquentou, conseguiu um algo para além do bloco. Use camisinha! E não vai lançar papinho que bebeu demais e não consegue ficar de pau duro quando usa o preservativo, que aperta, que você é limpinho, que no pelo é melhor ou que você é diferente. Estamos em plena epidemia de sífilis no país, faça sua parte e encape essa linguiça. Retirar o preservativo durante o ato sem a permissão da parceira é falta de caráter.

 Não se fantasie de rodo
Engana-se quem acha que não se vestir de rodo é um apelo para que, em plena festa da carne, você se torne monogâmico. Eu espero que ninguém decida esperar. Mas quem vive de passar pano é rodo, tá vendo o amiguinho ser um bosta? Tá com vergonha alheia? Não olhe para o lado e nem vá na onda. Se mete, não silencie quando ver mulheres tendo seus direitos a diversão e liberdade roubada por alguém. Não faz a egípcia nem a tímida. Não fica passando pano pra enxugar a vergonha que alguns passam no calor do carnaval.

Veja também:  Carta aberta à ex do atual

IMPORTANTE
 O estupro cometido contra pessoa sem capacidade ou condições de consentir, com violência ficta, deixou de integrar o art. 213 do CP para configurar crime autônomo, previsto no art. 217-A, sob a nomenclatura “estupro de vulnerável”. Seu teor é o seguinte: “Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos: Pena – reclusão, de 8 (oito) a 15 (quinze) anos. § 1º Incorre na mesma pena quem pratica as ações descritas nocaput com alguém que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência. § 2º (Vetado.) § 3º Se da conduta resulta lesão corporal de natureza grave: Pena – reclusão, de 10 (dez) a 20 (vinte) anos. § 4º Se da conduta resulta morte: Pena – reclusão, de 12 (doze) a 30 (trinta) anos”.

Se você, amiguinho, pega mulheres bêbadas, inconscientes ou droga garotas para fins sexuais, o nome disso é crime e no mínimo você deveria passar um tempo no xilindró.
MACHISTAS OTÁRIOS NOS DEIXEM EM PAZ.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *