BDSM: dominação e estilo de vida

O BDSM (acrônimo para expressão “bondage, disciplina, dominação, submissão, sadismo e masoquismo”) é capaz de desenvolver práticas úteis para o sexo e para a vida. Uma dominadora precisa de um submisso; entenda como funciona!

BDSM: dominação e estilo de vida

O BDSM (acrônimo para expressão “bondage, disciplina, dominação, submissão, sadismo e masoquismo”) é capaz de desenvolver práticas úteis para o sexo e para a vida. Um sadomasoquista necessita de um masoquista, que é o que mostra o filme Cinquenta Tons de Cinza.

BDSM é mais do que um fetiche, é um estilo de vida. Antes de tudo, o que significa cada termo? Bom, vamos lá: Bondage é o fetiche em que as pessoas se amarram, mais especificamente o submisso é amarrado pelo dominador. Dominação e Submissão é quando há duas pessoas ou mais, tendo o dominador e o submisso em um “jogo”. Masoquismo é quando algum dos envolvidos curte sentir uma dor, como chicotada e essas coisas.

Em um vídeo para o Sexlog TV, Mayumi Sato entrevistou a Mistress Charlotte Dominatrix, que contou tudo sobre a vida de dominadora e quais os maiores prazeres que ela vive. Agora é a hora de tirar todas as dúvidas e curiosidades sobre o assunto!

Como é ser dominadora

Charlotte é uma dominadora profissional e ela demorou para se descobrir nesse mundo. Muito antes disso, ela já tinha algumas fantasias relacionadas a isso, mas não sabia muito bem o nome do que era, ou mesmo o que era. Resolveu ir atrás de informações para entender mais sobre e acabou conhecendo pessoas que compartilhavam dos mesmos fetiches.

Depois disso, decidiu criar um site para compartilhar suas experiências, onde tirava fotos das sessões. Também começou a frequentar festas de BDSM, um dos pontos que foram cruciais para o seu boom. O site começou a ter bastante acessos e compartilhamentos, o que animou Charlotte.

Assim, começaram a aparecer submissos procurando-a para dar presentes, ir atrás querendo sessões com tributo, que é como eles chamam as sessões com valor pago no BDSM. E ela pensou, por que não seguir com isso? E foi quando começou a exercer sessões profissionais.  

Charlotte também contou mais sobre as pessoas que procuram por ela. “Não tem muito padrão para a pessoa. A grande maioria são homens entre 25 e 50 anos, mas varia muito, sendo altamente relativo. Mas, normalmente são pessoas que sempre decidem muito as coisas, que precisam sempre estar no controle e procuram na submissão um refúgio de inversão de papéis”, comenta.

Quer saber mais sobre a vida de uma dominatrix? Confira o vídeo completo no Sexlog TV!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *