A experiência a serviço do prazer

A experiência a serviço do prazer

O convite foi para escrever como era trabalhar no mercado do sexo, pois há seis meses eu e minha sócia abrimos a Miss Scarlet – uma loja online de sextoys pensada para atingir um público exigente, bem informado, com grau consistente de independência, que procura produtos elegantes e eficientes, de acordo com seu estilo e preferência. Num primeiro momento pensei que a minha natureza – franca e direta –, fosse a razão de os preconceitos geralmente ligados ao setor nem de longe me atingirem. Percebo a surpresa e os risos maldosos de alguns amigos quando falo da loja, mas essa é uma falha deles, não minha, afinal “sexo é muito mais do que o corpo em ação, sexo é uma combinação de corpo, imaginação e espírito que proporciona prazer e – por que não? -, amor”, como escrevi no primeiro post do nosso blog

Com o tempo, descobri outro fator que me dá esta segurança: a idade. Tenho 57. E assim como milhões de outras mulheres nessa faixa etária posso afirmar que os meus 50 têm sido anos libertadores. Principalmente em relação ao sexo. Como se diz sobre o segredo dos craques de qualquer esporte: não é questão de força, é de jeito, com engenho e arte. Depois dos 50 anos já passamos o medo da gravidez e os hormônios da menopausa estão sob controle; o ninho vazio já não assusta e vamos descobrindo uma vida plena depois que as crianças saem de casa. É aí que o mundo da liberdade sexual se abre para nós. Não acredito mais que todos os homens queiram mulheres mais jovens, porque a verdade é que a maioria dos homens quer mulheres confiantes – mulheres inteligentes e seguras.  Então, achei mais interessante deixar aqui uma experiência pessoal sobre como o novo “depois dos 50” deixa para trás o papel da vovó boazinha e se abre para a viajante do mundo, a executiva e a amante apaixonada.

  1. Mostre sua confiança

Com mais de 50, sabemos quem somos, ou pelo menos estamos descobrindo rapidamente. Não somos mais apenas a mãe ou esposa de alguém. Conhecemos nossos próprios valores, necessidades e o que é preciso para sermos o melhor de nós mesmas. Não acredite cegamente na alegação de que as mulheres perdem o apetite sexual na medida em que envelhecem. Há diversas pesquisas comprovando que, quando a vida sexual é de qualidade, a idade não interfere na libido, e eu concordo. Mulheres que consideram a vida sexual importante são três vezes mais propensas a continuarem com uma vida sexualmente ativa após os 50 anos do que as mulheres que não consideram o sexo da mesma forma. Claro, há a questão da falta dos hormônios que pode causar secura vaginal em algumas.  Mas para isso existe uma grande quantidade de lubrificantes para ajudar a ultrapassarmos esse desconforto.

  1. Sexo, sexo e mais sexo
Veja também:  7 princípios de empoderamento feminino no ambiente de trabalho

É sabido que os homens pensam em sexo MUITAS vezes durante o dia. As mulheres quase nunca. É cultural. Mude essa regra. Depois dos 50 você não precisa mais se preocupar com as crianças, o financiamento da casa, o supermercado. Agora o tempo é seu. Por exemplo, quando estiver num restaurante, olhe os homens ao redor, escolha um (ou dois) e imagine uma cena de sexo enquanto toma seu drink. Naquela reunião chata do escritório, em vez de olhar mensagens no WhatsApp  escolha uma das gravatas na sala e pense em tudo que poderia fazer com ela ou o que ela poderia fazer com você.

  1. Conheça o seu corpo e seja capaz de comunicar as suas necessidades

Aos 20 e 30 anos, poucas conhecem seu próprio corpo e muitas nem sabem dizer ao parceiro o que querem. Muitas são infelizes e neuróticas sobre seus corpos. Depois da gravidez, das estrias, da celulite e de décadas de pilates, yoga, e musculação, aprendemos que nossas imperfeições não importam. Nós aprendemos a verdade: os homens não também não se importam! Para eles o nu é bom, e pronto. Conhecemos melhor nosso corpo e podemos dizer ao parceiro o que nos dá prazer. Experimente e verá como ele irá agradecer a informação, pois assim como nós, os homens mais velhos também têm outra ligação com o sexo. A penetração continua sendo importante, mas eles estão abertos a novas descobertas. Já não há pressa para eles também. E é aí que os carinhos e preliminares pelos quais tanto ansiamos se tornam realidade, trazendo uma intimidade que leva as mulheres ao orgasmo com muito mais facilidade do que antes.

  1. Mostre sua flexibilidade.
Veja também:  Por que ainda dou biscoito recheado pra quem não merece?

Não a flexibilidade na cama, mas na mente e no espírito. Depois dos 50, já vivemos o suficiente para saber que nossas crenças mudam, o pensamento certo / errado não é atraente e ter expectativas irracionais leva ao desapontamento. Sabedoria para saber quando deixar as coisas pequenas é muito atraente para os homens. Eles detestam as intermináveis DRs e, prá falar a verdade, depois dos 50 você vai perceber que elas são chatas mesmo. Quase sempre levam ao desgaste e não ao resgate da relação. Nós aprendemos a arte do perdão e desapego. Nós somos menos controladoras do que éramos aos 30 – já sabemos que é inútil de qualquer maneira.

  1. Use seu corpo. Divirta-se.

O sexo depois dos 50 é melhor, acredite. Não temos mais culpas, medos e pressa, apenas experiência e prazer. O corpo de homens e mulheres nessa idade sofrem mais mudanças. Felizmente, hoje esse tema deixa de ser tabu e compartilhamos informações sobre o que funciona para lidar com essas mudanças. Vibradores, lubrificantes, terapias de reposição hormonal e pequenas pílulas para homens significam que nossa vida sexual pode ser aumentada e expandida à medida que envelhecemos.

Mas não se engane: nosso maior órgão sexual é nosso cérebro. O que pensamos sobre sexo, relacionamentos, nossos corpos e as escolhas que fazemos em relação à nossa sexualidade são vitais. A hora é agora. Seja corajosa e permita que sua fabulosa deusa interior brilhe.

@photobarbaracunha

 

Um comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *